May recusa pressão de Trump para ataque na Síria

Estados Unidos 16-04-2018 17:05
Por Redação
A decisão do Reino Unido de realizar ataques aéreos contra a Síria está relacionada com o interesse nacional do país, e não é resultado da pressão do presidente dos EUA, Donald Trump, disse a primeira-ministra Theresa May ao Parlamento esta segunda-feira.

«Não avançámos porque o presidente Trump nos pediu, fizemos isto porque acreditamos que era a coisa certa a fazer, e não estamos sozinhos. Há amplo apoio internacional para esta ação», disse.

O ataque em que o regime sírio terá utilizado armas químicas em Douma aconteceu a 7 de abril; em retaliação, EUA, França e Reino Unido lançaram 105 mísseis contra três alvos do programa de armamento químico na Síria na noite de sexta-feira (13) (horário de Brasília).

Os alvos atingidos foram o centro de Pesquisa e Desenvolvimento Barzah, nos arredores de Damasco, um armazém de armas químicas – em que os EUA acreditam que estava armazenado gás sarin –, e uma base que também teria armas químicas em Homs.
Ler Mais

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais