Varela tem contas a ajustar frente ao Boavista

Benfica 14-02-2018 10:27
Por Nuno Reis
Dia 16 de setembro de 2017, 6.ª jornada do Campeonato, o Benfica, ainda com marcas da derrota caseira (1-2) com os russos do CSKA Moscovo na ronda inaugural da fase de grupos da Liga dos Campeões, entra no relvado do Bessa para sarar feridas e Jonas - quem mais podia ser? - marca logo aos 7 minutos. Parecia que tudo estava a entrar nos eixos para os encarnados, mas um golo de Renato Santos, ao minuto 55’, enervou as águias, que aceleraram para tentar a vitória, mas ficaram de rastos, ao minuto 74, quando Fábio Espinho disparou de longe e Bruno Varela, guarda-redes de 23 anos, fez má abordagem ao lance e permitiu que a bola lhe escapasse das mãos para dentro da baliza.

A poucos dias de novo jogo com o Boavista para o Campeonato - está agendado para sábado, dia 17, na Luz -, Varela deve lembrar-se melhor do que ninguém do momento em que quase sofreu xeque mate. Frente à equipa de xadrez.

Cinco meses passados, porém, o guarda-redes português do Benfica deu a volta à situação e está bem diferente, tendo lutado contra muita coisa e vencido a desconfiança das bancadas, mesmo que falhasse mais duas vezes, sempre fora da Luz. Saídas mal calculadas em Setúbal, para a Taça da Liga, e em Braga, para a Liga, sem consequências para a carreira das águias nessas provas - Benfica estava eliminado da primeira competição e venceria 3-1 no Minho.

Essas foram as exceções em cinco meses regulares, nos quais o guardião sobreviveu a Júlio César e Svilar, às dúvidas dos adeptos, às exibições menos conseguidas da equipa em muitos jogos, às constantes mudanças no setor defensivo - estabilizado agora com apostas constantes de Rui Vitória em André Almeida, Rúben Dias, Jardel e Grimaldo - e até mesmo ao mercado. O Benfica, recorde-se, contratou ainda em 2017 o guarda-redes Odisseas Vlachodimos, do Panathinaikos, mas acabou por abdicar da mudança imediata do jogador para Portugal, esperando por ele no final da temporada.

A contrastar com o pior momento da temporada vivido por Varela no Bessa - na sequência do erro nessa partida ficaria de fora cerca de dois meses, falhando dez jogos -, o clássico com o FC Porto no Dragão. Se com o Boavista o português foi pontuado com nota 3 em A BOLA, pior da época, no jogo com os azuis em brancos recebeu um 7, sinónimo de melhor jogador em campo.
Ler Mais
Comentários (25)

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais