Liberdade provisoria para os três arguidos do caso Embraer

Moçambique 07-12-2017 21:14
Por Antonio Mavila, Maputo
Os três arguidos detidos na tarde de ontem quarta-feira, acusados no envolvimento de corrupção na compra de aviões embraer pela empresa Linhas Aéreas de Moçambique (LAM), viram hoje a legalização da sua prisão confirmada.

Trata-se de Paulo Zucula (antigo Ministro dos Transportes e Comunicações), José Viegas (antigo Presidente do Conselho de Administração das LAM) e Mateus Zimba (antigo gestor da Sasol), que fizeram-se presente perante a juíza Ludovina David.

Em sessões separadas a juíza foi ouvindo um a um dos arguidos e segundo nossas fontes a audição durou cerca de quatro horas de tempo e no final do interrogatório um dos advogados dos réus disse a imprensa que juíza decretou medida de coação e liberdade provisório para os três arguidos.

No total os três arguidos deverão pagar catorze milhões e quinhentos mil meticais para puder responder ao processo em liberdade.

Dos três Mateus Zimba devera pagar o bolo maior estimado em seis milhões de meticais, Paulo Zucula, cinco milhões e por fim José Viegas deverá pagar três milhões e quinhentos meticais.
Ler Mais

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais