Touré quer «menos conversa e mais ação» na luta contra o racismo

FIFA 13-10-2017 12:49
Por Redação
Yaya Touré espera ver ações concretas da FIFA e do governo da Rússia para evitar insultos racistas contras os jogadores durante o Campeonato do Mundo de 2018.

«Se precisarem de mim, posso ajudar. Mas não quer envolver-me apenas em conversas, quero ver ações. É um tema importante para o futuro do futebol e é preciso ver mudanças. As pessoas têm vindo a falar mas nada de concreto foi resolvido», disse o médio costa-marfinense do Manchester City durante uma ação da Football People.

«Fui vítima de insultos racistas, por isso, tento envolver-me e ajudar aqueles que não têm voz. Defender um rapaz africano é, para mim, bênção. O que queremos é calar os idiotas que o fazem. Queremos um jogo justo em todo o mundo», acrescentou.

Há quatro anos, Touré foi insultado em Moscovo durante um jogo da Liga dos Campeões com o CSKA local. Na altura, avisou que os jogadores negros podiam boicotar o Mundial se as autoridades não tivessem mão pesada sobre os infratores.
Ler Mais
Comentários (0)

Destaques

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais