Adriano quer mesmo voltar, mas admite que ainda bebe umas cervejas

Brasília 12-10-2017 15:43
Por Redação
Adriano, internacional brasileiro que deixou de jogar em 2016 mas anunciou a possibilidade de regressar em 2018, deu uma entrevista à TV Globo, na qual recorda alguns dos momentos dramáticos que o afastaram do futebol, desde as depressões, `s drogas, álcool, envolvimento com o mundo do crime-

«Quero começar a treinar de novo, mas não tenho clube. Não sei se voltarei ao mais alto nível, mas, não vou mentir, tentarei. Sei que é difícil, que é preciso regularidade, principalmente não será fácil depois de ano e meio sem futebol. Mas não custa nada provar a mim mesmo se realmente posso ou não», antecipou o Imperador – como era conhecido nos tempos áureos, sobretudo no futebol italiano, com a camisola do Inter de Milão –, agora com 35 anos.

O álcool, confessa o ponta de lança, foi um «problema um no passado», mas admite que ainda bebe. «Mas bebo de igual forma que os meus amigos quando fazemos um churrasco. Só uma cerveja? Isso é impossível, ninguém consegue beber apenas uma cerveja. Bebo quarta, quinta, sexta e também sábado. No domingo descanso.»

Da mesma forma, Adriano admite a relação com Mica, traficante de drogas; um episódio que muito o prejudicou, em 2008. «Foi verdade. É meu amigo. Não foram armas, nem drogas ou qualquer outra coisa… comprei-lhe uma prenda porque ele cresceu comigo. Foi uma moto.

Caiu em depressão depois da morte do pai e sentiu necessidade de regressar ao Brasil. Um passo atrás na carreira, que agora reconhece. «Quando voltei já não era eu. Não tinha a mesma força de antes. A força mental. Queria estar perto da família. Quando ficas sozinho começas a pensar em coisas que não deves.»

Ler Mais
Comentários (6)

Destaques

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais