Pedro Emanuel preparado para Moreirense como ainda não se viu na Liga

Estoril 09-09-2017 17:54
Por António Barroso
O treinador do Estoril, Pedro Emanuel foi este sábado cauteloso na conferência de imprensa de antevisão do embate da 5.ª jornada da Liga, em que a equipa que orienta recebe, domingo, o Moreirense, devido aos últimos reforços da formação treinada por Manuel Machado.

«Sabemos que vamos encontrar um adversário que se reforçou bastante nos últimos dias do mercado pelo equilíbrio que pretende. Aquilo que vamos encontrar do Moreirense é o que ainda não tínhamos visto no Campeonato. Creio que irão intregrar já o onze inicial alguns desses jogadores, por isso esta análise nossa fica condicionada. Mas a equipa não vem de um ciclo favorável, o último resultado foi uma derrota em casa ante um adversário direto», afirmou Pedro Emanuel aos jornalistas, este sábado, no Estoril, após ministrar mais uma sessão de treino aos seus pupilos.

«Espero um adversário diferente do normal, em função das caras novas no seu plantel, jogadores de qualidade, com alguma experiência. Espero um Moreirense, como é normal quando se vem de uma derrota pesada em casa, com alguma falta de confiança mas ao mesmo tempo à procura de ser competetente naquilo que são as suas soluções, a não arriscar muito no sentido de se expor. Será um Moreirense, acredito, dentro desse contexto. Forte nas transições ofensivas e contra-ataques, com jogadores que individualmente podem fazer a diferença», acrescentou sobre o próximo rival.

Mas é com o pensamento na vitória e concentrado nos seus objetivos que o Estoril promete tentar, nas palavras do seu técnico, voltar às vitórias.

«Estamos focados no nosso trabalho, e há que ter sempre isto em consideração. Queremos olhar par nós próprios como uma equipa que quer atingir e manter-se nos lugares onde está. Para isso, vamos ter de trabalhar muito e jogar muito: ter bola, ter paciência com bola, rematar à baliza. O objetivo para este jogo é estarmos próximos de marcar e de não sofrer golos», disse Pedro Emanuel.

Quanto ao onze a apresentar amanhã, o treinador desdramatizou ausências por lesão ou por, caso de alguns dos últimos reforços estorilistas, porventura ainda não terem tido tempo suficiente de integração e assimilado a nova realidade e ideias de Pedro Emanuel.

«O onze é sempre o mais forte. As movimentações que fizemos no final do mercado prenderam-se com isso, com o termos uma equipa competitiva, como quero. O plantel foi fruto de um esforço grande, mas houve importantes apoios para todas as posições. É por isso mesmo que vou eleger os melhores para o jogo, em função do adversário», acrescentou um treinador satisfeito com a matéria-prima que tem à sua disposição, após as chegadas de Lucão, Victor Andrade e Kyriakou.

«Chegaram jogadores que tínhamos como alvos. Acabaram de chegar, a integração de uns será mais rápida do que a de outros. Faremos a nossa gestão, mas fico satisfeito por ter estas opções. Não é fácil este mercado, mas conseguimos trazer os nossos alvos preferenciais para dar soluções para o nosso foco que é o campeonato», repisou Pedro Emanuel, a deixar claro que dificilmente algum dos novos recrutas possa ser já aposta.

«Victor vem de uma paragem prolongada, é natural que precise de reencontrar o seu ritmo; Lucão vem de uma paragem forçada entre aspas, mas encontra-se em bom momento de integração, será tranquilo. Rambo [Kyriakou] é jogador de seleção, fez os últimos dois jogos de Chipre, está preparado para jogar, falta é alguma integração num novo país. A breve prazo estará pronto para ser opção», relativizou o treinador a propósito, sempre a enfatizar a satisfação pelos reforços.

«Estou satisfeito, sim. Vieram colmatar as nossas necessidades em termos competitivos. O plantel estava desequilibrado em termos posicionais. Estou satisfeito e confiante naquilo que são as capacidades que os jogadores têm. Acredito que o que pretendemos para o futuro ficou acautelado com estas novas soluções», disse Pedro Emanuel.

Crítica ao relvado dos Barreiros

Pedro Emanuel vincou ainda o desagrado pelo estado do tapete verde do Estádio dos Barreiros, na Madeira, palco do último encontro do Estoril, que valeu a eliminação da Taça da Liga (0-1, Marítimo), a propósito do desempenho do central argelino Rafik Halliche na estreia pela equipa.

«Halliche? No global, gostei muito do desempenho coletivo da equipa na Madeira. Fomos competitivos, disputando o jogo e resultado até ao último segundo, perante uma equipa que é forte e que demonstrou na última época, o Marítimo, que teve poucas alterações ao seu onze. Nesse contexto, fiquei satisfeito. Mas íamos à Madeira para passar à fase de grupos, e aí fiquei desiludido, porque condicionado pelas condições que encontrámos para disputar um jogo de futebol: sem dúvida não encontrámos as condições mínimas para disputar um jogo de futebol», concluiu Pedro Emanuel.
Ler Mais
Comentários (0)

Destaques

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais