Oposição ameaça com manifestação e acusa PM de preparar «algo de muito grave»

São Tomé e Príncipe 13-08-2017 19:06
Por Lusa
A oposição são-tomense acusou hoje o primeiro-ministro Patrice Trovoada de estar a preparar «algo de muito grave» que «põe em causa a paz social», dizendo-se disposto a «tudo fazer», incluindo manifestar-se na rua, para o impedir.

«O primeiro-ministro e o seu partido Ação Democrática Independente (ADI) estão a preparar algo de muito grave contra o nosso povo, pondo em causa a paz social, com acusações de que existe um grupo a preparar a agitação, sem dizer de que grupo se trata», disse hoje à imprensa o líder do Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe - Partido Social Democrata (MLSTP-PSD), Aurélio Martins.

«Isso não passa de tentativas para justificar as suas futuras ações, apoiadas pelas tropas ruandesas trazidas ao nosso país pelo governo do ADI», acrescentou o líder do principal partido da oposição, que alerta a comunidade internacional para `registarem´ o que considera de "ameaças ao regime democrático».

«Lançamos um veemente apelo à comunidade internacional, às missões diplomáticas existentes em São Tomé e Príncipe para registarem as ameaças ao nosso regime democrático que vêm sendo montados pela maioria absoluta do ADI», diz o MLSTP-PSD.

Neste sentido, Aurélio Martins conclui que «está em causa a paz social» e responsabiliza o Governo como «único responsável pelos possíveis acontecimentos forjados pelo ADI que possam pôr em causa as liberdades e garantias dos cidadãos».

As denúncias surgem 24 horas antes da sessão parlamentar marcada para esta segunda e terça-feira, que vai discutir um conjunto de diplomas, entre os quais a aprovação final da Lei que cria o Tribunal Constitucional (TC) e a alteração da composição da Comissão Eleitoral Nacional (CEN), que de acordo com a proposta do governo, passará a ter um mandato de sete anos.

A oposição questiona por que razão o primeiro-ministro, que é também líder do partido que suporta o governo, pretende alargar o mandato da Comissão Eleitoral para sete anos e a criação de um tribunal constitucional que, alega, «só vai acarretar mais custos ao país e aos cidadãos».

Acusam por isso Patrice Trovoada e o seu partido de pretenderem «manter-se no poder a todo o custo».

O líder da oposição sublinha que «o país vai de mal a pior como resultado das ações do governo da maioria corrupta e arrogante do ADI», adiantando ainda que os partidos da oposição se reúnem hoje para concertar posições para uma ação conjunta durante as discussões dos diplomas na sessão plenária marcada para segunda e terça-feira.

O Presidente da Republica, Evaristo Carvalho, recebe também na segunda-feira os partidos políticos com assento parlamentar, a começar pelo partido do governo, disse à Lusa a assessora de imprensa da Presidência da Republica, Hélia Fernandes.

O tema do encontro não foi revelado, mas fontes partidárias adiantaram que «a situação politica interna do país vai dominar o encontro» do chefe de Estado com os partidos políticos.
Ler Mais

Destaques

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais