Governo e central sindical chegam a acordo para evitar nova greve geral

Guiné-Bissau 13-08-2017 16:17
Por Lusa
O governo guineense e a União Nacional dos Trabalhadores da Guiné (UNTG) chegaram a acordo para evitar uma nova greve geral na Função Pública que deveria ter lugar na próxima semana, anunciaram fontes oficiais.

O acordo foi rubricado este sábado, da parte do governo, pelos ministros das Finanças, João Fadiá, e da Função Pública, Tumane Baldé, e pelo secretário-geral da UNTG, Estevão Có.

Os três confirmaram o entendimento, evitando a possibilidade de realização de uma nova greve geral na próxima semana.

A Função Pública guineense realizou, entre 8 e 10 de agosto, uma greve geral para reivindicar um reajuste salarial.

O secretário-geral da maior central sindical da Guiné-Bissau mostrou-se satisfeito «com os resultados das negociações de alto nível» que permitiram o entendimento.

«O governo deu a mão à palmatória e reconheceu que as nossas exigências são legítimas», afirmou Estevão Có, vincando que a harmonização da grelha salarial na Função Pública e o controlo do preço do arroz (base da dieta alimentar no país) são fundamentais.

Já o ministro das Finanças, João Fadiá, defendeu que o entendimento foi possível porque o governo fez ver ao sindicato que já decidiu baixar algumas taxas do arroz, levando os comerciantes também a reduzirem os preços e ainda criou uma comissão para harmonizar os salários.

Por seu lado, o ministro da Função Pública, Tumane Baldé, disse que o governo compreende a reivindicação dos trabalhadores, nomeadamente a existência de desequilíbrios na folha salarial, mas lembra que «são situações herdadas do passado que estão a ser corrigidas».
Ler Mais

Destaques

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais