‘Rocket’ bate Hendry por 3-1 em apoteótico show na Bulgária

Snooker 11-09-2017 20:14
Por António Barroso
O inglês Ronnie O’Sullivan, de 41 anos, 10.º do ranking e pentacampeão mundial de snooker (2001, 2004, 2008, 2012 e 2013), venceu a Bulgarian Tour, série de quatro duelos de exibição noutros tantos dias e tantas diferentes cidades – Burgas, Varna, Sofia e Plovdiv -, de 5 a 9 do corrente mês de setembro, ao terminar com 3-1 em vitórias sobre o escocês Stephen Hendry, de 48 anos, único heptacampeão mundial de snooker da era moderna (já retirado) mas Campeão mundial em 1990, 1992, 1993, 1994, 1995, 1996 e 1999.

E foi a certeza de que Stephen Hendry, que já no corrente ano tentou nova e esporádica presença nas qualificações para os 32 finalistas de mais um Mundial, no Crucible Theatre, em Sheffield – jogou o Mundial de Veteranos, mas perdeu diante do inglês Peter Lines -, mesmo sem competir, continua a ser um portento a jogar que a digressão búlgara destas duas lendas vivas desta variante do bilhar veio confirmar: velhos, já nem os trapos…

O Rocket venceu por 6-1 na primeira noite, ante milhares de espetadores – sempre recintos cheios, com os ídolos a não se negarem a muitos autógrados dos fãs -, em Burgas, mas Hendry puxou dos galões de único heptacampeão mundial da era moderna do snooker (e hegemónico dominador dos anos 90) e venceu na segunda noite, em Varna, por 6-4.

Na capital da Bulgária, Sofia, o Rocket disparou até 3-1, ainda viu Hendry igualar 4-4 mas o inglês triunfou por 6-4, numa noite para recordar que, aos 41 anos, Ronnie, recordista de breaks (tacadas, ou entradas) máximas no cirtuito (147 pontos, tem 13) e de tacadas centenárias (de 100 ou mais pontos) anotou, mesmo só em exibição, mais dois centuries (107 e 100 pontos, respetivamente).

Resposta do The Boss do Crucible à altura: o escocês assinou tacadas de 90 e 97 pontos sem falhar uma bola, num espetáculo em por três vezes os dois ases do taco tentaram a perfeição, o 147.

O mesmo resultado, na última noite, em Plovdiv (6-4), decidiu definitivamente o troféu em favor de Ronald Antonio O’Sullivan – Hendry poderia ter igualado 2-2 nas quatro noites, caso vencesse -, com o 6-4 a ser festejado numa jornada de promoção desta mediática variante do bilhar sem igual pelo leste europeu, em que o grande vencedor a avaliar por casa cheia, sempre, foi… o snooker.

Mark Williams campeão mundial de Seis Vermelhas

Com a vitória de um veterano, o galês Mark Williams, de 42 anos, 17.º do ranking, terminou sábado em Banguecoque, capital da Tailândia, mais uma prova da World Snooker mas esta exclusivamente por convite, reservada a 32 jogadores e por isso não pontuável para o ranking: o Mundial de Seis Vermelhas (e não as 15 habituais).

Na final, a welsh potting machine, bicampeão mundial em 2000 e 2003, suplantou um dos heróis locais, o tailandês Thepchaiya Un-Nooh, de 32 anos, 39.º da hierarquia, por claros 8-2, para levar para casa o gordo cheque de 3,5 milhões de baht (87.658 euros) do total de 10 milhões de baht (250.453 euros) de prémios distribuídos na prova.

Mark Williams sucede assim ao chinês Ding Junhui, de 30 anos, como vencedor do torneio, em que já deixara pelo caminho, nas meias-finais, Marco Fu (Hong-Kong), por expressivos 7-3, enquanto nos quartos de final o inglês Michael Holt caíra às suas mãos (6-3), tal como sucedera com o compatriota Kyren Wilson nos oitavos (6-2).

Open da Índia e Open Mundial em Yushan

Inicia-se esta terça-feira, dia 12 do corrente mês, e decorre até sábado (dia 16) o Open da Índia, prova da época 2017/18 do circuito profissional e pontuável para o ranking da World Snooker, que terá lugar na cidade de Vishakhapatnam.

A prova na cidade, situada no golfo de Bengala e com mais de dois milhões de habitantes, atribui 323 mil libras (354 mil euros) de prémios no total, das quais 50 mil libras (54.864) para o campeão, que foi o escocês Anthony McGill, em 2016.

A partir de segunda-feira (dia 18) e até dia 24, atenções centradas no World Open, em Yushan (China) e que distribui 700 mil libras de prémios (768.092 euros), das quais 150 mil libras (164.591 euros) ao vencedor (o inglês Ali Carter, em 2016).

Open da Índia, jogos de 3.ª feira, 1.ª ronda (hora portuguesa):

Li Hang-Srikrishna (5 horas)
Andrew Higginson-Asutosh Padhy (5 horas)
Tian Pengfei-Tom Ford (5.30 horas)
Zhang Anda-Soheil Vahedi (5.30 horas)
Alan McManus-Malkeet Singh (6 horas)
John J. Astley-Ken Doherty (6 horas)
Robin Hull-Xu Si (6.30 horas)
Sam Baird-Lucky Vatnani (6.30 horas)
Mark Davis-Laxman Rawat (7 horas)
Matthew Selt-Cao Yupeng (7 horas)
Fergal O`Brien-Jimmy Robertson (7.30 horas)
Shaun Murphy-Pandurangaiah (13.30 horas)
Graeme Dott-Jack Lisowski (13.30 horas)
Sean O`Sullivan-Josh Boileau (13.30 horas)
Ricky Walden-Alfie Burden (13.30 horas)
Anthony McGill-Aditya Mehta (14.45 horas)
Jackson Page-Rory McLeod (14.45 horas)
Anthony Hamilton-Hossein Vafaei (14.45 horas)
Daniel Wells-Joe Perry (14.45 horas)
Ler Mais
Comentários (0)

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais