Governo autoriza saída da Odebrecht da quarta maior mina de diamantes do mundo

Angola 10-01-2018 10:20
Por Lusa
O Presidente angolano promulgou o negócio da venda da participação de 16,4% da Odebrecht, envolvida no escândalo de corrupção no Brasil, na Sociedade Mineira de Catoca, que explora a quarta maior mina de diamantes a céu aberto do mundo.

Em causa está um negócio acordado pelos sócios da mina, no leste de Angola, em agosto de 2017, antes ainda das eleições gerais angolanas, e que só foi promulgado, por decreto presidencial de 04 de janeiro, a que a Lusa teve hoje acesso, pelo novo chefe de Estado, João Lourenço.

A mina de Catoca está avaliada em mais de 1.800 milhões de dólares (1.500 milhões de euros), pelo que a quota da Odebrecht pode valer mais de 250 milhões de euros, valores que fonte da Empresa Nacional de Prospeção, Exploração, Lapidação e Comercialização de Diamantes de Angola (Endiama), contactada em agosto pela Lusa, não comentou.
Ler Mais

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais